sábado, 13 de outubro de 2012

HERANÇA PARANORMAL

Nota 4,0 Título nacional não vende bem a ideia de suspense que poucos sustos provoca

Sinopse: Após a morte de sua tia, Bryan Becket (Tim Daly), um advogado realista e ganancioso, deixa por uns tempos sua família para ir morar na velha residência da falecida para evitar depredações e roubos. Ele está crente que é o herdeiro, mas para sua surpresa a tia fez um testamento deixando o imóvel para o instituto de pesquisas do Dr. Warren Koven (Bruce Altman), responsável pelo laboratório do sono. A velha senhora tinha interesse nesses estudos que visavam a capacidade de clarividência das pessoas e nível de percepção de fenômenos paranormais. Ela procurou o doutor por causa das vozes que escutava em sua casa. Becket é cético quanto ao assunto, mas não demora a também ser assombrado por sons e vultos. O rapaz não abandona a casa, pois sente que ele tem algo a ver com o passado misterioso dela e nessa busca por respostas ele contará com a ajuda de seu amigo Sully (Tom Arnold) e de Cassie (Zoe Saldana), uma das voluntárias dos estudos sobre paranormalidade.



Comentário: Esta produção é a prova de que por pior que ela seja, um título mau escolhido pode limar definitivamente qualquer possibilidade dela encontrar o mínimo de público interessado. Pegando descaradamente carona no fenômeno Atividade Paranormal, o longa se beneficiaria se no Brasil fosse utilizada a tradução literal do título original, “O Cético”, uma escolha que expressaria mais fielmente a idéia deste suspense escrito e dirigido por Tennyson Bardwell que economizou nos sustos e não tingiu uma cena sequer com vermelho proveniente de sangue. Todavia, o diretor passou longe de realizar uma obra original ou que revolucionasse o gênero, pelo contrário, ele apresenta situações previsíveis e joga uma boa premissa no lixo que poderia render uma interessante discussão sobre o ceticismo diante de fenômenos aparentemente sem explicações. Até a metade o longa deixa o espectador intrigado, principalmente pela ambientação da tal casa assombrada que abre mão de manjadas trucagens e decorações em detrimento de um cenário mais realista, porém, a câmera do diretor não sabe explorá-lo assim perdendo boas oportunidades de fazer algo surpreendente surgir de onde menos se espera. Dessa forma, mais uma vez temos que nos contentar com vultos no escuro ou aparições repentinas no espelho. Quando o grande mistério do enredo é revelado, caminhamos para uma apressada conclusão sem clímax algum e outra vez Bardwell perde um bom gancho, um conflito familiar, que renderia algo para ao menos seu filme não ser rotulado como lixo total. Ainda bem que ele nos poupa de forçar um clima de romance entre o protagonista e a única mulher (de carne e osso) da fita. Aliás, Zoe Saldana, que teve importantes personagens nas aventuras Avatar e Star Trek, é o único nome mais expressivo do elenco, mas sua atuação é extremamente fraca, lembrando que o longa é de dois anos antes dos sucessos citados que ela participou. Enfim, Herança Paranormal é um produto perfeito para preencher uma noite de tédio, chuvosa ou para ajudar em casos de insônia. Não fede nem cheira como popularmente se diz. Para não dizer que tudo é ruim, pelo menos visualmente o filme não agride a ninguém.

Suspense - 89 min - 2008 - Dê sua opinião abaixo.

Nenhum comentário:

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...